Buscar
  • Lilian Sguillar

Cicatriz tem jeito? O ozônio pode ajudar!

Quem não tem alguma cicatriz? Seja por um tombo quando criança ou por uma cirurgia, a cicatriz nada mais é que a remodelação do colágeno para fechar uma lesão de pele. Muitas vezes, elas podem incomodar pelo local que aparecem ou mesmo resultar em uma quelóide, processo que acontece quando há o crescimento anormal do tecido cicatricial.


A ozonioterapia pode ajudar (e muito!) no tratamento contra essas marquinhas indesejadas, pois atua no aumento da oxigenação, o que possibilita a ativação de várias enzimas antioxidantes do nosso corpo, melhorando melhora a circulação sanguínea. O Ozônio também ajuda a acelerar a cicatrização de feridas abertas (e também falamos sobre isso neste post sobre pé diabético). Dependendo do caso e da avaliação profissional, o método pode ser combinado com outros tratamentos, como o microagulhamento – técnica que utiliza um dispositivo semelhante a um rolo, com dezenas de micro agulhas, para estimular colágeno e cicatrização. Nesse caso, é aplicado após o microagulhamento e age como um “ativador”.


Vale citar que a ozonioterapia é uma técnica segura e tem um ótimo custo-benefício. As concentrações de ozônio e o número de sessões variam de acordo com a cicatriz ou a ferida a ser tratada e a resposta do organismo do paciente.


Quer saber mais? Acompanhe nossas redes sociais e fique de olho no blog!


1 visualização