Buscar
  • Lilian Sguillar

Estresse e Síndrome de Burnout: a ozonioterapia pode ajudar!

A pandemia do novo Coronavírus alterou as relações de trabalho, uma vez que resumiu o expediente a horas em casa, na frente do computador, sem contato com os colegas e equilibrando tarefas profissionais com a vida pessoal. Por isso, a Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Social, voltou à pauta com força. Oficializada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como crônica e incluída na nova Classificação Internacional de Doenças (CID-11), que deve entrar em vigor em 01 de janeiro de 2022.





A doença é caracterizada, principalmente, por picos de estresse, exaustão constante, esgotamento mental e tensão emocional. Além do acompanhamento profissional com psicólogos e psiquiatras, terapias integrativas como a ozonioterapia podem ser de colaborar com o processo de recuperação.


O tratamento medicinal com ozônio é feito em consultório e aplicado por diferentes vias dependendo da patologia a ser tratada. Por ser um poderoso vasodilatador e antioxidante, ajuda a aumentar os níveis de energia no organismo, combatendo a sensação de cansaço frequente e ajudando a evitar outras doenças que possam surgir em decorrência do estresse.


Tratamentos como meditação, acupuntura, aromaterapia e outros que enfatizem o bem-estar, também contribuem com a recuperação dos pacientes. Em média, a melhora fica evidente em três meses.


Vale dizer que é essencial prezar pelo seu bem-estar físico e mental em todos os momentos. Só assim é possível evitar chegar a situações extremas como a Síndrome de Burnout.


Conheça mais sobre os tratamentos do Espaço Lilás!

1 visualização